A SOS – Salvem o Surf – associação ambiental de elevada capacidade técnica que visa não só preservar, mas também desenvolver o surf e o desporto de ondas – esteve na presente semana, a convite de vários surfistas, na ilha da Madeira com o objectivo de dar passos importantes na salvaguarda e desenvolvimento do surf nesta região.

Durante dois dias bastante intensos, a SOS – Salvem o Surf fez-se representar ao seu mais alto nível, através de Pedro Bicudo e Pedro Monteiro, presidente e vice-presidente respectivamente, na ilha da Madeira.

Após tomar conhecimento, através de surfistas da Madeira, do projecto “Ligação Marginal entre o Cemitério e o Cais de Paul do Mar” a direcção da SOS decidiu desenvolver esforços para que a associação participasse na consulta pública do projecto. Como é sabido, a hipótese desta obra se vir a realizar deu azo a um grande debate, nomeadamente nas redes sociais, entre a comunidade surfista portuguesa, em particular entre os surfistas madeirenses, que teme perder a onda de Paul do Mar.
Assim, à chegada à Madeira, a SOS reuniu-se com os surfistas madeirenses, alguns representantes de entidades ligadas ao surf como o Núcleo de Surf da Associação Desportos da Madeira (ADM), o Clube Naval do Funchal e o Centro de Treino Mar. Um encontro informal onde ficou patente a grande vontade da comunidade surfista, entidades hoteleiras e comerciais em continuar a trabalhar na defesa e desenvolvimento deste desporto na ilha da Madeira.

Num acontecimento agendado pelos surfistas locais, a SOS teve a oportunidade de reunir com o Dr. Manuel Baeta de Castro, presidente da Câmara Municipal de Calheta. Uma conversa bastante produtiva onde a associação teve a possibilidade de apresentar vários estudos que demonstram a relevância do surf noutros pontos do nosso país. No final, o Dr. Manuel Baeta de Castro mostrou-se bastante sensível às questões levantadas pela SOS e revelou que no município de Calheta o surf é visto como um desporto natureza a salvaguardar e potenciar. No mesmo dia, a SOS – Salvem o Surf reuniu com o Eng.º João Correia, Director Regional do Ambiente. Um encontro onde o projecto do Paul do Mar foi discutido na perspectiva de preservar a onda de classe mundial que ali quebra com bastante regularidade. Mais uma vez, o encontro revelou-se extremamente positivo, sendo que as entidades regionais mostraram estar susceptíveis a incluírem o surf no Estudo de Impacte Ambiental do projecto de Paul do Mar.