Este ano, Peniche receberá novamente uma etapa do World Tour, um evento que, a avaliar pela estreia do ano passado, trará milhares de pessoas às praias de Peniche. Para além de todas as infra-estruturas necessárias, incluindo a sua montagem e as alterações dos terrenos necessárias à sua implementação, há ainda que ter em conta os milhares de pessoas que invadem os areais nesses dias, as deslocações e os resíduos produzidos por essas multidões, bem como a acessibilidade a essas praias. E isto tudo num ecossistema tão sensível como as praias e as dunas.

De acordo com as informações prestadas por Francisco Spínola, da RipCurl, e por António José Correia, presidente da Câmara Municipal de Peniche, a equipa do SOS constatou que a integração ambiental do evento foi este ano alvo de maiores preocupações por parte da organização, contando com a ajuda de vários parceiros ambientais como a Surfriders Foundation, a WWF (World Wide Fund for Nature), a RipCurl Planet, a Sociedade Ponto Verde, a Carbono Zero, e ainda com a colaboração técnica da ARH (Administração de Região Hidrográfica), numa iniciativa inédita em Portugal em campeonatos de surf.

Assim, neste RipCurl Pro a estrutura na praia de Supertubos será assente em estacas de forma a minimizar o peso exercido sobre as dunas e a destruição da vegetação que as mantém erguidas, sendo estas também protegidas por vedações para impedir que sejam pisadas. Também no Pico da Mota, as falésias serão protegidas por essas vedações.

As escavações de areia em Supertubos, uma das preocupações levantadas pelos surfistas locais, é apenas a mínima necessária e não terá influência nos fundos do pico, uma vez que o volume de areia mexida é relativamente pequeno e sempre no cimo da praia, e será reposto depois de terminado o evento.

Haverá recolha selectiva de lixo nas praias e limpeza dos areais pela CM Peniche, bem como a compensação das emissões de CO2 produzido nas deslocações do staff, através da Carbono Zero. É ainda de salientar que os flyers do evento foram impressos em papel reciclado e com tintas não nocivas para o ambiente e que as t-shirts oficiais do evento são feitas em algodão orgânico.

O SOS, que estará presente com a habitual recolha de assinaturas e venda de t-shirts, recomenda, por fim, a todos aqueles que assistam a este espectáculo de surf que irá acontecer em Peniche, que tenham sempre em mente a conservação das nossas praias:

  • Recolhendo todo o lixo produzido e depositando-o no ecoponto adequado que poderão encontrar nas praias;
  • Evitando o uso do automóvel e usando os 4 Shuttles que a RipCurl irá disponibilizar para fazer a ligação Baleal – Pico da Mota;
  • Evitando o estacionamento nas dunas ou fora dos parques criados para o efeito e limitando-se a circular nos trilhos já existentes;
  • Evitando colocar-se debaixo das falésias em erosão e em cima das dunas.